sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

O Destino das Borboletas

Cabe a uma borboleta
desabrochar lindamente
de um casulo que antes fora
uma horrorosa lagarta

Balançando suas asas coloridas
encantar o olhar de toda gente
entre as flores dos campos,
por cachoeiras e cascatas

Viver uma vida tão curta
mas vivê-la intensamente
tal como os gênios e os santos
suas vidas nada pacatas

Depois, despojada da vida
como lhe anunciaram tristemente
os elementos pelos quatro cantos
hirtas e duras suas asas e patas

E ser alimento dos vermes
que atrevidos e inermes
vão germinar no seu fim
as flores que brotam no capim

Benno Assmann
______________________




Soneto - Shakespeare

Quando a hora dobra em triste e tardo toque
E em noite horrenda vejo escoar-se o dia,
Quando vejo esvair-se a violeta, ou que
A prata a preta tempora assedia;

Quando vejo sem folha o tronco antigo
Que ao rebanho estendia a sombra franca
E em feixe atado agora o vejo trigo
Seguir o carro, a barba hirsuta e branca;

Sobre tua beleza então questiono
Que há de sofrer do Tempo a dura prova,
Pois as graças do mundo em abandono

Morrem ao ver nascer a graça nova.
Contra a foice do tempo é vão combate
Salvo a prole, que o enfrenta se te abate.

William Shakespeare

6 comentários:

Marina disse...

Uma vida curta e intensa, como um sonho... Por isso tento viver intensamente. Se for para viver uma vida curta, que seja ao menos intensa.

Abraço, Benno!

Índia disse...

Essa transição da borboleta parece com fases de nossas vidas, quando saímos de momentos difíceis (feios), para uma vida nova, feliz, bela e tranquila. Acho que passo por essa transformação diariamente. E a lição eh válida. Se a vida for curta, que seja vivido o presente intensamente.

A Itinerante - Neiva disse...

Benno,

Linda, linda esta poesia, ainda mais sabendo como e quando foi composta. :D

Já vivi intensamente por gosto. Hoje vivo por falta de opção, mas queria mesmo era sombra e água fresca. De preferência em uma praia de Natal. rsrs

Beijos

A Itinerante - Neiva disse...

Benno,

Para você que aprecia tanto Vermeer:

http://blog.uncovering.org/archives/2008/05/a_danca_de_delft.html

Espero que goste. :D

Beijos

Lis disse...

É mesmo verdade que se, o tempo corre demasiadamente rápido, a vida é curta, é necessário aproveitar ao máximo!

Beijos

A Itinerante - Neiva disse...

Oi mocinho,

Passando para dizer um alô. :D

Beijos

Postar um comentário