terça-feira, 10 de agosto de 2010

sufôco

o ar
que me falta
é teu sorriso

carnívoro

a posta
de carne
que devoro
é tua boca

sonhador

o sonho
que embala meu sono
é teu semblante

sofrido

a dor
que mais me dói
é tua falta

enchente

a chuva torrencial
que me transborda
é o tênue orvalho
que exsuda teu gozo

1 comentários:

Ava disse...

Hummmmmm...

Adoro voce poeta, romântico...

Tuas palavras são de uma sensisibilidade diante da ausencia, da saudade, que chega a doer...

Amei de paixão!


Beijos meus!

Postar um comentário