domingo, 15 de agosto de 2010

"As paixões são como ventanias que enfurnam as velas dos navios, fazendo-os navegar; outras vezes podem fazê-los naufragar, mas se não fossem elas, não haveria viagens nem aventuras nem novas descobertas." - Voltaire
As paixões não têm razões, mas são as únicas razões que encontramos. Sem elas a vida não vale a pena ser vivida, ainda que elas nos causem dor e problemas, que nem sempre sejam seguras e certeiras, muitas vezes nos levando ao erro. Mas há que se tentar, pois a alternativa seria nada fazer e nada fazer seria não existir. Ajo, logo existo. Se só se agisse diante da certeza do resultado, nada teria sido feito, pois a certeza não pode preceder o feito. Diante do erro, que nunca é fracasso (o único fracasso de fato é nem tentar) nada resta a não ser levantar a cabeça e tentar de novo.
"Pois tudo que é grandioso é perigoso; e é verdade, como diz o adágio, que o que é belo é difícil." - Sócrates (A República)
É tão simples ficar em casa sem fazer nada, mas a vida vai passando na janela e quando percebemos que ela passou já é bem tarde. Vemos a sombra da vida não vivida se esvair no horizonte à medida que o Sol se põe. Mas não percamos a esperança. A luz vai romper do outro lado, novamente e poderemos nos levantar e mudar tudo isso. Talvez seja o último dia pois toda a hora é uma boa hora para se morrer. Mas se esta hora não tiver ainda chegado, que se viva!
Tudo deu errado, mas vivi e não havia nada mais nobre a ser feito, pois amei. E amar é tudo, mesmo que se tenha deixado amar, pois quem amou ainda ama, nem que seja a lembrança de um doce beijo.

2 comentários:

layla lauar disse...

que texto maravilhoso Poeta, ao mesmo tempo poético e lúcido...

a paixão é coisa de nervos e pele. é taquicardia e tremor de pernas. é posse e tesão. é furacão e tempestade. é efêmera e imediatista. não suporta esperas e nem distâncias. é dúvida e nunca certeza. é cheia de conflitos, explosões, picos e vales, amanheceres e poentes, e quase nenhum tempo de paz.
é céu e inferno e, de vez em quando, entre um e outro, o purgatório...
enquanto o amor caminha sobre terreno sólido, a paixão se equilibra sobre areias movediças.

um beijo grande

mandei um email procê ;)

Dira disse...

eu e lá te esqueci, amigo mais do que querido. saudade de vc... me conta ai como estás? ao mesmo escrevendo maravilhosamente continuas né? aparece.
vamos trocar figurinhas.

Postar um comentário