segunda-feira, 29 de dezembro de 2008




uma overdose de amor
é receita para obter-se a dor
na paixão ama-se mais do que se devia
dá-se um passo maior que as pernas
e depois restam estas quebradas
pela rasteira traiçoeira
da desilusão

entre o medicamento e o veneno
há esta pequena diferença
isto deveria saber
toda pessoa sensata
um é de menos e o outro é demais
cura quando é menos do que é preciso
mas o excesso nos mata
a verdade está sempre
no coração marcado
e o preço define-se
pela lei do mercado
em excesso a demanda
há escassez da oferta
o amor só é cura
na intensidade certa


Segundo Bertrand Russel, a virtude só é possível com dois ingredientes. O conhecimento e o amor.

Ao Amor sem Conhecimento, faltam meios.
Ao conhecimento sem amor, falta conteúdo.

Benno

1 comentários:

Neiva disse...

Benno,

Boa noite. Tudo bem?

Este Teia é um encanto: lindo, sedutor e muitíssimo bem sacado.

O segundo (?) poema é o oposto: o que um tem de romântico o outro tem de racional. Porque esta contradição? Foram escritos em épocas distintas ou quis estabelecer duas vozes? ;)

A paixão não seria o passo inicial do amor?

Este amor virtuoso que menciona, não conheço. Quanto tive conhecimento, faltou-me amor e quando tiver amor, faltou-me conhecimento.

Bela reflexão. Fez-me pensar. :D

Beijos

Postar um comentário