segunda-feira, 14 de julho de 2008



mergulha a Lua no horizonte
adormece a noite
despertando o meu pensar
só a noite é capaz
de me despertar por dentro
a luz me acorda para o mundo
a escuridão me acorda para mim mesmo

voraz o tempo
que consome contente meus dias
e provoca sem prometer

voraz tua boca
que consome com raiva meu ser
e possessa possui minha língua

louca fantasia
esta em que andam
mergulhados meus sonhos
este mar de tormentos
estas tormentas implacáveis
em que singram meu dedos instáveis
afogo-me em teus desejos
sou brinquedo singelo
em tuas mãos infantis
paisagem castigada
na natureza intocada
de teus olhos perdidos

1 comentários:

Layla Lauar disse...

também só me encontro na escuridão da noite...

muito lindo este poema!!!

(as fantasias tb tem que ser alimentadas por algo real, daqui a pouco até elas me faltarão)

beijos Poeta!

Postar um comentário