quarta-feira, 26 de novembro de 2008

O Sol brilha radiante lá fora
mas é a noite que tomou os meus dias
meu olhar gelou nas sombras
minhas pegadas pregaram nas sobras
e o juízo entorpeceu
meus sonhos foram roubados pela realidade
hoje meus olhos, encharcados de lágrimas,
vêem tudo turvo e apagado
no jardim retinem as cores das flores
mas sou cego ao que belo e só enxergo a dor
as aves cantam e inebriam com seus trinados requintados
mas sou surdo à música e consigo ouvir lamentos
qual a luz que poderá me despertar deste sono?
esta é a luz, a luz em que perco meus dias
a luz que persigo mas não consigo ver
como o tonto inseto que gira loucamente ao redor da chama
é a luz que um dia alucinou meu raciocínio
a paixão que azedou o que era nata em mim
pois a paixão que é incompleta e esta é a minha
a que mora em um e morre no outro
e se embatem como a montanha e o vale
não é luz, mas sim escuridão
a escuridão que morre aqui no peito

5 comentários:

layla disse...

um poema triste, desesperançado, porém muito bonito...eu achei!

e todos nós, como mariposas, executamos, vez ou outra, uma dança mortal atraídos por uma falsa luz que brilha apenas pos alguns innstantes.

fico feliz que tenha resolvido voltar a blogar.

beijos Poeta

Neiva disse...

Benno,

Vim assim que vi o link lá na Itinerante. Hoje a noite verei com calma todos seus posts do passado.

Olhe, pelos coments lá no Ressaca vi que você é uma pessoa com bastante sensibilidade e achava uma pena não ter um blog. Então adorei. Já até linkei nos meus "Blogs que Amo" e comecei a acompanhar, então agora tem responsabilidade, viu? rs

Sobre o poema, triste mas intenso e belo que transmite. Espero que você reencontre a luz, o calor e a alegria muito em breve.

Beijos

Neiva disse...

Desculpe, é "intenso e belo no que transmite".

A Itinerante - Neiva disse...

Benno,

Não sei o quanto tem acompanhado A Itinerante, mas tenho me encontrado na elaboração de banners. Fiz um monte para meu blog e alguns para amigos.

Teu blog me inspirou e fiz um banner com o que senti ou vi aqui. Considere como um presente. Uma lembrança. Não se sinta obrigado a usar, exceto se quiser mesmo, ok?

A escultura você deve conhecer, é O Beijo, de Rodin. A lua é da Lis, de uma foto que tirou. Os olhos são da net. Espero que goste.

http://www.hotlinkfiles.com/files/2092614_50m9m/bannerbenno.jpg

Beijos

mariza disse...

belo, belo poema, Benno. é triste sim, mas de uma beleza encantadora. aliás, a maioria dos poemas tristes é bonita.
muito (re) bem-vindo à blogosfera. agora, vê se sossega um pouco... hahahaha.
beijão

Postar um comentário