quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Não posso falar nada sobre isso agora, só envio a noticia do prêmio nacional que ganhei. Sou o segundo da esquerda para direita na foto.

link :

http://portalempresasenegocios.com.br/2014/10/iel-rn-fica-em-primeiro-lugar-brasil-premio-iel-de-estagio-2014/

-x-

Ele dizia ser mil
em desvendar os segredos
e que suas fãs pelo Brasil
eram fantasias e brinquedos
ele sonhava ser um rei
e outras coisas que nem sei
desejava tesouros escondidos
em paraísos perdidos

mas veio o tempo feroz
com sua foice impiedosa
decepou de forma atroz
a parte de si mais saborosa
sonhava antes um sonho
que agora seria pesadelo
um monstro medonho
meio dragão meio camelo
a doce namorada que sonhava
é hoje a megera mal amada
que desencantou os seus dias
o corpo de herói jaz cansado
é perdido o tônus dos músculos
de tanto comer porcarias
mas no silêncio da noite
ainda resta uma esperança
a ponta algoz e cruel
perfuro-cortante de uma lança

-x-

Ele se perguntava se a Lua
tão distante e antiga
podia ser sua companheira
e na imaginação
a si mesmo respondia
como se a Lua fosse
e lhe amasse tanto
como o céu ama a Lua
- Podeis ser meu companheiro
ó amado menino
desde que me prometa para sempre
que suas noites sejam só minhas
podendo ter para si só os dias
Ele, incontinenti respondia
como se ouvira de verdade
a voz límpida
da vetusta e branca rocha noturna
- te darei para sempre os meus sonhos
e os fatos da vidas serão só meus
a minha amada e luminosa brancura
serás a cura para a minha alucinação
o doce remédio que me fará deixar de ser sonhador

2 comentários:

Vanuza Pantaleão disse...

Sábias palavras deixaste lá no nosso espaço, Benno. O Estado não pode ficar atrelado à pequenez partidária, é aquela máxima que ainda vai vigorar por muito tempo: "Os homens passam, mas a nação fica." Aliás, nós costumamos confundir os conceitos de Nação, Estado e Povo. Falta de base educacional, meu amigo. Não só para o nosso povo ainda inculto, mas a própria classe média vive se enrolando todinha. Não sou professora de nada, mas já pensei até em "dar uns toques", mas me retraio, não quero ofender ninguém.
Bem, mas temos aqui um laureado supervisor da maior empresa pública do nosso país e um poeta de estilo inconfundível entrelaçados na mesma pessoa, a quem devo parabenizar primeiro? [risos]
Vou começar pelo profissional de terno e gravata, muito elegante por sinal. Parabéns a você e a sua equipe! Li o texto e percebi que ali houve eficiência e trabalho. Parabéns mesmo!
Agora, para falar do Poeta e "Homem das Letras", vou pedir licença para voltar depois, pois é a essa parte que mais me apego e aí...bem, aí vou ter que me debruçar sobre enigmas mais complexos do que todas as equações matemáticas nunca dantes navegadas: a alma humana.
Obrigada, amigo! Boas eleições!Bjsss

Vanuza Pantaleão disse...

Bom dia, Benno!
Obrigada por sua lucidez e colaboração ao nosso micro texto - mas que provocou urticárias em alguns -, lá no nosso cantinho. Eu também não entendo como amigos meus aqui de tanto anos ficaram tão transtornados e agressivos, Parece até a história do "Dr. Jekill e mr Hyde" [risos]. Só espero que depois das eleições eles queiram fazer as pazes comigo...eu espero (temerosa de levar um "passa fora").
Seu poema:
O tempo devorando os sonhos de um jovem, a cinderela dos sonhos que perde a carruagem e vira bruxa e megera. Por fim, o solitário namoro com a lua, a eterna e branca "rocha" intocável.
Um tanto melancólico e realista, mas um poema que serviria para um mestre como Antonioni aplaudir com louvores, sendo ele o poeta-cineasta que vasculhou as entranhas da incomunicabilidade humana,
Boas eleições e um fim de semana maravilhoso!Bjssss

Postar um comentário