sábado, 2 de outubro de 2010

A flor da favela

brotou uma flor
na subida da favela
bem em meio ao desamor
mesmo sem ser a mais bela
no entanto era só ela
a única flor da favela
o terreno era árido
e a paisagem sem cor
mas só de teimosa
assim mesmo a vida
ali plantou uma flor
suas pétalas desbotadas
e sua folhas mirradas
abriam as portas cerradas
dos barracos da pobre gente
que ante visão tão inocente
de uma flor tão indecente
na secura dos olhos vazios
saltados dos rostos frios
ardia uma luz já extinta
uma pontinha de emoção
e esta pobre gente sentia
nascer uma flor no coração

8 comentários:

layla lauar disse...

lindíssimo e emocionante - amei!

beijos Poeta

layla lauar disse...

mandei um comentário ou melhor um merecido elogio a este lindo poema..mas não sei se foi...deu um "erro" quando o enviei


se não foi...gostei por demais deste poema !

;)

Ava disse...

Benno, um poema musical!
Foi assim que li, como se cantarolasse.

Lindo, meu querido!

Querido, obrigada por seu carinho e paciência.

Adoro voce!


Beijos!

Lis disse...

Benno,

Emocionante seu poema. Que bom que vim dar uma voltinha por aqui.

Beijos e bom findi.

Branca disse...

Que lindo!
A flor da esperança...brotando no coração daquela gente sofrida...

Gosto demais daqui...parabéns por tanta sensibilidade!
Bjo!

mariza disse...

PARABÉNS, PARABÉNS, PARABÉNS!
muita felicidade, alegria, saúde e amor!
muitos beijos

Ava disse...

Benno, estou em Montes Claros hje, na minha Pós.

Acabo de ler seu comentário.. Que lindo!!!

Obrigada por seu carinho...


Felicidades pelo teu aniversário!


Beijos e carinhos meus...

T. Barros disse...

Gostei do lirismo. Saudações e volto.

Postar um comentário