domingo, 28 de fevereiro de 2010

Que olhar

mas que olhos estranhos são estes
que teimam em me enfeitiçar?
talvez seja o meu fim
pois não sou mais de mim
eu já não me pertenço
e ando até hipertenso
pois sou desses olhos que já conhecia
muito antes de os contemplar

no muro da minha frente
a hera e o musgo vicejam
sinto o vento em meu rosto
franze roto meu cenho
o resto de mim já não tenho
sem os olhos um desgosto
por mais estranhos que sejam
sob este ar inocente

e por que esses olhos
e não outros olhos ?
quaisquer outros olhos
pois que há tantos deles
por este vasto
e sedento de olhos mundo
que olhos certamente
não hão de faltar
e nesse inútil me perguntar
a respeito de olhos
e outros assuntos
vou seguindo
sob o efeito hipnótico
desses olhos catalíticos
na catarse e catalepsia
esta neblina obscura
que há para sempre
de me envolver


Tudo tem alguma beleza, mas nem todos são capazes de ver. (Confúcio)

até no ar há beleza
e no fundo também a tristeza
está no jeito de se o olhar
e que há no toque ao corpo
e nos cabelos o leve alisar
da brisa que vem do mar
pois que ali está o ar
o azul do céu é um véu
que vem do encontro
da luz do Sol com o ar
e de um certo jeito
único e inevitável
nossos corpos se-amantes
ainda que seja improvável
sempre se encontrem
qualquer que seja o instante
por ser o mesmo
o ar com que se cobrem
pois o ar será assim tão belo
se os olhares certos
sobre ele repousarem

2 comentários:

Ava disse...

O feitiço de um olhar, de forma avassaladora...
Não serve qualquer olhar, aquele que nos enfeitiça é único...

No segundo poema, até selecionei uns versos, porque os achei perfeitos, onde se resume todos os sentimentos...

"nossos corpos se-amantes
ainda que seja improvável
sempre se encontrem
qualquer que for o instante..."


Assim somos nós... Ainda que improvável, sentimos intensamente...

E assim vamos seguindo... apenas sentindo...


Beijos meusi!

Poeta Revisitado disse...

Não estará a beleza que encontramos reflectindo o que interiormente os nossos olhos buscam?...
Aquele abraço meu caro amigo!

Postar um comentário