quarta-feira, 4 de novembro de 2009

estes meus olhos...


estes meus olhos
cansados
de tanto ler
já não te enxergam
eis-me então
encharcado de tanto saber
mas privado
de toda beleza

estes meus dedos
atrevidos
exploram tuas reentrâncias
e compensam
o descuido dos meus olhos

Benno

5 comentários:

Índia disse...

A imaginação aliada a sensibilidade, te faz enxergar através do toque.

Isso é uma viagem!

Beijosss

Ava disse...

Ah... esses dedos... essas mãos... com certeza compensam os olhos cansados...rs

Derramando sensualidade por aqui...


Beijos!

Mamis disse...

uau, incrível! bjs

layla lauar disse...

lindo poema Poeta...tão lindo quanto seus olhos azuis...estejam eles cansados, ou não.

e... ler o corpo outro em braile é uma delícia..rsss

(tenho algo procê...depois que passar a minha raiva com a derrota do meu time para o seu...eu envio)

beijos

Ava disse...

Fim de noite...

Lendo Alfonsina Storni...

Perfeito...

Uma poetisa incrível!

Deixo para voce...



"A Carícia Perdida



Sai-me dos dedos a carícia sem causa,
Sai-me dos dedos… No vento, ao passar,
A carícia que vaga sem destino nem fim,

A carícia perdida, quem a recolherá?

Posso amar esta noite com piedade infinita,
Posso amar ao primeiro que conseguir chegar.
Ninguém chega. Estão sós os floridos caminhos.
A carícia perdida, andará… andará…

Se nos olhos te beijarem esta noite, viajante,
Se estremece os ramos um doce suspirar,
Se te aperta os dedos uma mão pequena
Que te toma e te deixa, que te engana e se vai.

Se não vês essa mão, nem essa boca que beija,
Se é o ar quem tece a ilusão de beijar,
Ah, viajante, que tens como o céu os olhos,
No vento fundida, me reconhecerás?

Alfonsina Storni"



Parabéns pela "cara" nova do blog....

Parabéns a Layla, que sempre tem um bom gosto danado, na escolha de layouts.


Beijos!

Postar um comentário