segunda-feira, 10 de março de 2014

a lua
a estrela
e o sonho

a letra
no poema
que componho

- a palavra coração solitária ao pé da folha -


a rua
a pele nua
e o teu retrato

a caneca
o café
e o prato

- os dedos deslizam sobre as migalhas de ontem -

o ponteiro
os segundos
o passar das horas

a partida
a espera
e a demora

- talvez ela nunca venha, mas não perco a esperança

5 comentários:

  1. Se queres a visão secreta,
    fecha teus olhos.
    Se desejas um abraço,
    abre teu peito.

    Rumi


    [contém meu abraço]

    ResponderExcluir
  2. Acho que você faz muito bem, Benno.

    Gosto, gosto desta "irracionalidade", desse antagonismo de seu "eu-lírico".

    A lua, a estrela e o sonho, sempre acompanharão, a partida, a espera e a demora.

    Ah, poeta engenheiro, que escreve coisas tão profundas e desconcertantes.

    Volta sempre!

    Beijo.

    ResponderExcluir
  3. Muito lindo, Benno.
    A razão da espera é a esperança.

    Gostei do seu comentário lá no meu espaço e fiquei feliz ao revê-lo por lá.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  4. saber esperar é um grande meio de conseguir...

    :)

    ResponderExcluir