terça-feira, 7 de janeiro de 2014

inventa-me
assim como eu te invento
e serei mais do que sou
assim como és mais do és
sou eu o presente do teu futuro
como foste o futuro do meu pretérito
subjuntivo e  infinitivo conjugados a um só tempo
o jato expelido, sussuro soprado, um lamento
a regência de uma simples preposição
o hipotético de uma relativa subjunção
somos dois pagãos que se encontram
aquém e além de todo tempo e espaço
infinitos tênues pontos
que cintilam aqui e ali
eternos breves átimos
que vorazes se engolem
tal como matéria e antimatéria
o encontro de um antibiótico e uma bactéria
um vírus vil e intenso que nos infecciona
o veneno fatal que ele nos instila e apaixona
tal como o explosivo que por todos os lados nos incendeia
a asquerosa aranha a espera da vitima inerme em sua teia



- eu não escolho palavras
são elas que me escolhem-


e que me importa
se a mula é manca
se a banca é branca
se o siri é mole
e engole o molhe
ou o que será da mulher
que jaz no jazz
que faz o fêz
de ponto em ponto
e que mais um mês
desconta um conto
e escancha a conta
uma simples concha que descansa na areia
pequena trombose que faz inchar a veia
um sangrar do que podia ser vida
que podia ser fome ou ser comida
o espesso fluido que tosse rouca expele
a casca morta, a crosta, uma troca de pele

se o que importa é se fazer presente e ser futuro na vida de alguém

5 comentários:

LUZ disse...

Ultimamente, você tem escrito mais, Benno. Excelente!

Estive lendo, agora, "Eletrodomésticos" e "James Bond" e me fartei de rir.

A postagem de hoje, e em minha opinião, é um misto. O primeiro texto: "Inventa-me" é de fazer crescer água na boca. Repleto de trocadilhos, metáforas, comparações, enfim, acho que pôs lá a GRAMÁTICA E O CORAÇÃO, não esquecendo o CORPO, todinhos.

O segundo escrito é muito racional, "frio", mas quente, e sobretudo "corrosivo" para a minha pobre mente, mas com muita imaginação e valor.

Boa semana.

Beijo.

Luzes e Luares - novo post sobre Eusébio. No "Afetos", os comentários estão encerrados, temporariamente.

ᄊム尺goん disse...

[e....
o verbo
fez-se
carne]



rs.




[gosto das entrelinhas]



beij0


LUZ disse...

VOCÊ É UM "QUIRIDO"!

Beijuuuuuuuuussssssssssssss (Professora de Português, escrevendo desse jeito, é)?!

Luma Rosa disse...

Oi, Benno!
No fim, me pareceu que todo o esforço é no máximo uma movimentação em prol de ideias, na transformação do sonho em nostalgia :)
Feliz 2014!!

Claudinha ੴ disse...

Olá Benno!
Inventando e reinventando, as palavras é que o possuem mesmo! Lindo poema, fazendo , certamente, presente na vida de quem inspira seus versos!
Desejo um excelente 2014! Beijo!

Postar um comentário